Verão no Oeste do Paraná

2 dez

Bom dia, comadres!

O post de hoje é um pouco diferente. Vim aqui contar para vocês sobre um atrativo muito bacana aqui da nossa querida (e quente) região Oeste do Paraná: O Parque Aquático Lago de Itaipu.

Agregando valor ao domingão!

Agregando valor ao domingão!

Antes de mais nada, eu gostaria de deixar bem claro que este não é um post pago, é apenas uma dica da comadre aqui, totalmente espontânea, ok?

Bem, recapitulando. Eu fui lá, dias atrás, fazer uma vista e ontem, finalmente, fui para passar o dia. Resultado: como o lugar é muito mal divulgado, várias pessoas, ao ver as fotos que publiquei, vieram me perguntar sobre o parque. Então, resolvi prestar um serviço de utilidade pública (aka dica prozamigo) e repassar algumas informações.

Sobre a cidade: Itaipulândia é um dos municípios lindeiros ao Lago de Itaipu, já previamente conhecida pelo Balneário Jacutinga – ou simplesmente “prainha”. Fica a uns 70 km de Foz do Iguaçu e a aproximadamente 130 km de Cascavel.

Acesso: para chegar, o acesso se dá via BR-277. Chegando a São Miguel, você deve entrar na cidade e pegar a estrada em direção à praia artificial (sim, você passa por dentro de São Miguel para chegar a Itaipulândia). De carro, leva cerca de uma hora (saindo de Foz). Apesar de a pista entre SMI e Itaipulândia ser simples, a estrada é boa. É relativamente fácil chegar, mesmo que você não conheça o caminho, pois há placas por todo o trajeto. Atenção: há um pedágio entre Foz e São Miguel, que custa R$ 11,80.

Preços: O ingresso custa R$ 70 por pessoa, ou R$ 60 se você for convidado de um sócio (falarei disso logo mais, continue lendo).

O parque: para quem não sabe, o parque aquático é da franquia Rio Water Planet, que já funciona há mais de uma década no estado do Rio de Janeiro. Atualmente, apenas uma parte do parque está pronta (uns 40%, ao que me consta) e já estão em funcionamento a piscina de ondas, a piscina show, outra piscina para crianças (que sinceramente não me lembro o nome), e a piscina termal coberta. Todas são muito, muito grandes!

Ainda não estavam funcionando os quatro toboáguas que já estão prontos e o rio lento – mas, a informação é que nos próximos dias esses dois atrativos devem entrar em operação, além de uma hidromassagem vip (que é paga à parte, mas não sei o valor, sorry!). Quando estiver pronto, o parque deverá ter 17 toboáguas, além de um hotel/resort, quadras poliesportivas e mais piscinas, totalizando 45 atrações numa área de 260 mil m².

Vantagens: uma das coisas que mais me agradaram lá foram os bares molhados. Ou seja, o bar é dentro da piscina, o que torna muito cômodo pegar umas bebidinhas. Outro aspecto muito bacana é que, na parte rasa das piscinas, você pode pegar sua cadeira ou espreguiçadeira e arrastá-la para onde bem entender. Ou seja: você pode tomar sol dentro d’água se quiser. Mas, se você for tipo eu, uma pessoa que foge do sol, também tem áreas com sombras dentro da piscina, seja debaixo dos imensos guarda-sóis ou à beira dos quiosques/bares. Também tem a piscina coberta, então, naquele sol do meio-dia, você já tem para onde fugir. Lá, inclusive, tem uns telões que ficam passando clipes e tal. Animação total.

Você também tem bastante liberdade para usar as boias. Você tanto pode pegar uma boia para ir para esta piscina coberta, por exemplo, ou para ficar curtindo a piscina de ondas (que é bem legal, por sinal). Não tem encheção de saco quanto a isso. Mas, eu acho que uma das coisas que se destacam lá são as opções para crianças. Para famílias com filhos, o lugar é excelente. Juro que dá inveja dos pequenos, de tantas coisas legais que tem para eles – desde brinquedos como escorregadores e balanços, passando por chafarizes, até um castelinho dentro da piscina onde eles podem entrar e assistir a filminhos e desenhos. Um show! Ah, e as piscinas são rasinhas, não tem perigo algum.

Desvantagens: como é de praxe nesse tipo de lugar, os preços para comer e beber lá dentro são meio salgados e não tem muitas opções. Até ontem, só tinha uma lanchonete funcionando, mas ao que consta deverá abrir um restaurante por quilo nos próximos dias, além de uma churrascaria. Porém, não espero que seja muito barato. Então, como não dá para levar “marmita”, o passeio como um todo acaba se tornando relativamente caro. Outra alternativa é almoçar na prainha mesmo, onde tem mais opções.

Sobre o título: há também a opção de adquirir o título do parque, ou seja, se tornar uma espécie de sócio – como se fosse um clube. A joia custa R$ 2.750, com possibilidade de incluir quatro pessoas. Este valor é parcelado em 11 vezes (uma entrada e mais dez). Depois de paga a joia, você continua pagando uma mensalidade, que está em R$ 90 atualmente. O título dá o direito à carteirinha, com a qual você entra no parque quantas vezes quiser. Além disso, será implementado um sistema de transporte aquático para levar até lá. Uma espécie de Kattamaram fará o traslado de Foz até Itaipulândia, sem custo para quem for sócio (não sei sobre preços para quem não for sócio, até porque ainda não está em operação). Outra vantagem prometida será o desconto de 50% nas diárias do resort, cuja previsão de conclusão é outubro do ano que vem.

Para conhecer: quem quiser conhecer o parque não precisa necessariamente pagar o ingresso. Você pode chegar à bilheteria e dizer que só quer visitar. Então, eles te dão um tíquete de visitante e um guia mostra o complexo todo. Mas, aqui vai uma dica: se você for visitar, já leve roupa de banho, pois a probabilidade de você querer ficar por lá é grande. No dia em que eu fui, não levei biquini e me arrependi.

Conclusão: de modo geral, eu achei um lugar bastante agradável, tanto para adultos quanto para crianças. Resumidamente, é um entretenimento para todas as idades. Apesar de sair meio caro ir para lá – especialmente para quem mora em outras cidades, claro –, vale muito a pena conhecer. Como nós bem sabemos, o calor aqui da nossa região é torturante e muitas vezes não temos o que fazer nos finais de semana. Então, para quem não sabia, fica aqui esta dica como opção.

Quem tiver curiosidade, pode acessar o site deles (apesar de não ter muita informação): http://www.lagodeitaipu.com.br/

Abraços, comadres! Espero que as informações tenham sido úteis para o Projeto Verão! E não se esqueçam do ensinamento do Bial: usem protetor solar.

Anúncios

Uma resposta to “Verão no Oeste do Paraná”

  1. Patrícia 23 de agosto de 2014 às 3:52 pm #

    Amei as dicas, texto muito bem escrito, consegui mais informações aqui do que no site, muito obrigada e sucesso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: